Quem sou eu

Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brazil
Este é um espaço de troca de informações sobre Educação Patrimonial. Aqui você poderá, entre outras coisas, se informar sobre as ações educativas, cursos, oficinas e eventos que estão acontecendo nas Casas do Patrimônio do Rio de Janeiro. Seja bem-vindo!

segunda-feira, 19 de junho de 2017

MinC promove oficinas gratuitas sobre 
Prêmio Culturas Populares
O Ministério da Cultura (MinC), por meio da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural (SCDC), promoverá, a partir da próxima terça-feira (20), oficinas gratuitas e abertas ao público em várias regiões do País para orientar sobre o processo de inscrições para o Prêmio Culturas Populares Leandro Gomes de Barros. O edital, lançado neste mês, vai premiar, com R$ 10 mil, 500 iniciativas culturais que valorizam a cultura popular brasileira.
As oficinas ocorrerão entre 14h e 18h nas Representações Regionais do Ministério da Cultura. A primeira delas será realizada em 20 de junho, na Representação Regional de Minas Gerais, em Belo Horizonte. Em 23 de junho, será a vez da Representação Regional Norte, em Belém (PA). Em 30 de junho, o evento ocorre na Representação do Rio de Janeiro e do Espírito Santo, localizada na capital fluminense, e em 7 de julho, na Representação Regional de São Paulo, na capital paulista (Veja serviço no fim da matéria).
Para participar, basta o interessado se inscrever neste link. As vagas são limitadas por ordem de inscrição. Caso haja grande demanda, turmas pela manhã devem ser abertas. As turmas serão ministradas pelo coordenador-geral de mobilização da SCDC, Jorge Adolfo Freire e Silva.

O Prêmio
O Prêmio Culturas Populares Leandro Gomes de Barros vai premiar 500 iniciativas que fortaleçam as expressões culturais populares brasileiras, retomando práticas populares em processo de esquecimento e que difundam as expressões populares para além dos limites de suas comunidades de origem.
Exemplos dessas iniciativas são o Cordel, a Quadrinha, o Maracatu, o Jongo, o Cortejo de Afoxé, o Bumba-Meu-Boi e o Boi de Mamão, entre outros. Só não estão incluídas Culturas Indígenas, Culturas Ciganas, Hip Hop e Capoeira, por já serem objeto de editais específicos lançados pelo MinC.
Das 500 premiações, 200 serão destinadas a pessoas físicas, outras 200 a coletivos culturais sem constituição jurídica, 80 a pessoas jurídicas sem fins lucrativos e com natureza ou finalidade cultural e 20 a herdeiros de mestres já falecidos (In Memorian), em homenagem à dedicação do trabalho voltado aos saberes e fazeres populares e às expressões culturais, com reconhecimento da comunidade onde viveram e atuaram.

Inscrições para o edital
Cada candidato poderá apresentar apenas uma iniciativa para a seleção. As inscrições, abertas até 28 de julho, poderão ser feitas pela internet ou por via postal. Em caso de inscrição on-line, a documentação prevista no edital deverá ser preenchida, assinada e anexada ao Sistema de Acompanhamento às Leis de Incentivo à Cultura – SalicWeb.
Caso o candidato prefira realizar a inscrição por via postal, ela deverá ser enviada com aviso de recebimento obrigatório (AR) simples ou entrega rápida para o endereço especificado no edital.

Calendário de Oficinas
(Vagas limitadas pelo site: http://culturaspopulares.cultura.gov.br/oficinas/)

20 de junhoRepresentação Regional MG
Rua Rio Grande do Sul, 940, Belo Horizonte (MG)

23 de junhoRepresentação Regional Norte
Avenida Governador José Malcher, nº 474, Belém (PA)

30 de junhoRepresentação Regional RJ e ES
Av. Presidente Vargas, 3131, 17º andar, Rio de Janeiro (RJ)

7 de julhoRepresentação Regional SP
Rua Julio Marcondes Salgado, 234, São Paulo (SP)
---------------
Assessoria de Comunicação/Ministério da Cultura
Dia da Música 2017 incentiva a música fluminense
Com patrocínio da Vivo e da Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, o Dia da Música 2017 acontece no dia 24 de junho e em sua terceira edição dedica especial atenção à música fluminense. A programação do festival contará com mais de 60 shows gratuitos em 14 palcos apoiados de todo o estado, além do Palco do Conselho que levará grandes nomes da nova música brasileira, como Linn da Quebrada, Do Amor e Chicas, à Praça Luis de Camões, a partir das 14h.
Ventre, Thiago Elniño, Beach Combers e Facção Caipira estão entre os 18 artistas contemplados pelo prêmio de Incentivo à Circulação de Artistas do Rio de Janeiro, que destinou R$ 50 mil a levar shows fluminenses a outros 13 estados durante o festival, que acontece em rede e lança luz sob um circuito de palcos dedicados a música autoral em todo o Brasil.
- É muito importante para o Dia da Música conseguir oferecer esses prêmios especiais ao Estado do Rio de Janeiro, o principal parceiro e apoiador do projeto - afirma Gustavo Steinberg, diretor-geral do festival.
A terceira edição do Dia da Música incentiva ainda as bandas tradicionais do Rio de Janeiro com o Prêmio Especial Banda Larga, que dedicou R$ 100 mil a 10 bandas de música de todas as regiões do estado.
- A música é um dos elementos mais presentes na identidade cultural fluminense e também gera impacto econômico e oportunidades. A nossa gestão tem orgulho de apoiar a iniciativa do Dia da Música, bem como o Prêmio Especial Banda Larga, que reconhece o valor das bandas tradicionais e centenárias em todo o Estado - afirma o Secretário de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, André Lazaroni.
As bandas foram selecionas a partir das edições anteriores do Banda Larga já realizadas pela SEC.
O projeto Banda Larga - Programa de Atualização para Bandas de Música do Estado do Rio de Janeiro, realizado entre 2009 e 2011, atendeu cerca de 90 bandas. De tradição renascentista, algumas delas acumulam mais de 100 anos de história e contribuem até hoje para a formação de novas gerações de músicos, estimulando a prática de um instrumento e a composição autoral.
Conheça abaixo as bandas de música selecionadas:
1. Sociedade Musical Euterpe Lumiarense
2. Cia. De Artes Musicais Força e Garra de São Gonçalo
3. Corporação Musical Nossa Senhora do Rosário
4. Sociedade Musical Lira da Esperança
5. Sociedade Musical Sete de Setembro
6. Sociedade Musical Beneficente Euterpe Friburguense
7. Banda Sinfônica de Barra Mansa
8. Sociedade Musical Euterpe Madalenense
9. Sociedade Musical Lira de Apolo
10. Sociedade Musical 31 de Dezembro
Saiba mais: http://www.cultura.rj.gov.br/materias/dia-da-musica-2017-incentiva-a-musica-fluminense 
26 editais de cultura estão com inscrições abertas
Ao menos 26 processos seletivos no campo cultural estão em andamento, com editais abertos pelo Ministério da Cultura (MinC) e instituições vinculadas.
São editais, chamadas públicas, premiações, concursos e convocatórias, entre outros. Com critérios objetivos e transparentes, esses processos são uma maneira eficaz e direta de implementar políticas públicas.
O público que pode se inscrever é bastante variado: vai de consultores em patrimônio a núcleos criativos da área audiovisual. Há temas como direção de museus; literatura musical; aplicativos e jogos voltados à poesia; acessibilidade e inclusão em bibliotecas; tradução e publicação de obras de autores brasileiros no exterior; e culturas populares.
Confira abaixo as oportunidades disponíveis e não perca os prazos:
Saiba mais: Editais com prazo de inscrição

Francisco Brennand completa 90 anos e é homenageado com vídeo inédito da Funarte
Um dos grandes nomes das artes plásticas no Brasil, o pernambucano Francisco Brennand completou 90 anos no domingo, dia 11 de junho. Para celebrar a data e homenagear o mestre da cerâmica, a Fundação Nacional de Artes – Funarte divulga um vídeo com depoimento exclusivo do artista.
O vídeo-documento foi filmado às margens do Rio Capibaribe, no Recife, na olaria que ele herdou do pai e transformou na Oficina Cerâmica Francisco Brennand, onde cria e expõe suas obras, muitas delas a céu aberto. O vídeo foi realizado pela Coordenação de Difusão e Pesquisa (Codip) do Centro de Programas Integrados (Cepin) da Funarte.
Acesse aqui o vídeo
No depoimento, Brennand conta que estava em Paris, ainda moço, ávido por assistir a uma exposição de Picasso. Ao entrar, ficou decepcionado por saber que se tratava de uma mostra de cerâmica e que, portanto, não veria as pinturas que tornaram Picasso conhecido. Mas saiu da exposição tão transformado pela arte do gênio cubista que a cerâmica acabou se tornando o seu principal meio de expressão.
O ceramista também se defende no vídeo da acusação de abusar de expressões fálicas e sexuais nas suas peças: “Eu lido com esse elemento que é um dos grandes enigmas do universo: a reprodução. O próprio universo é a história de um imenso desejo que se reproduz”, explica.



Além das esculturas e pinturas expostas na Oficina Cerâmica, o vídeo-documento mostra ainda belas tomadas aéreas do Parque das Esculturas Francisco Brennand, com noventa obras do mestre construídas sobre um arrecife em frente à Praça do Marco Zero, no Recife. O parque, que é um dos principais pontos turísticos da capital pernambucana, foi inaugurado no ano 2000 para comemorar os 500 anos do Descobrimento do Brasil.
A realização do vídeo-documento contou com o apoio da Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer, ligada à Prefeitura do Recife; e da Empresa de Turismo de Pernambuco (Empetur), ligada ao Governo do Estado de Pernambuco.
-------------
Fonte: http://www.funarte.gov.br/artes-integradas/francisco-brennand-completa-90-anos-e-e-homenageado-com-video-inedito-da-funarte/ 


segunda-feira, 12 de junho de 2017


MinC efetiva processo de tombamento de 27 obras de Niemeyer
O Ministério da Cultura, por meio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), homologou o tombamento de um conjunto de 27 obras do arquiteto Oscar Niemeyer, localizadas em Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo. A homologação, publicada nesta quarta-feira (7/6) no Diário Oficial da União, é a etapa final do processo de tombamento iniciado em 2007, a pedido do próprio Niemeyer, e aprovado pelo Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural em maio do ano passado. A homologação efetiva a inscrição das obras no livro do Tombo - inscrição definitiva de um bem.
As obras passam agora a ser protegidas pelo Iphan como Patrimônio Cultural Brasileiro. São elas: o Museu da Cidade, o Espaço Lúcio Costa, o Panteão da Liberdade e Democracia, o Teatro Nacional, o Memorial JK, o Memorial dos Povos Indígenas, o Conjunto Cultural Funarte, o Espaço Oscar Niemeyer, o Conjunto Cultural da República, o Edifício do Touring Club do Brasil, a Praça dos Três Poderes, a Casa de Chá, Pombal, o Palácio da Justiça, o Palácio Itamaraty e anexos, a Capela Nossa Senhora de Fátima, o Conjunto do Palácio da Alvorada, o Congresso Nacional, o Palácio do Planalto, o Supremo Tribunal Federal, os prédios dos Ministérios e anexos, o Quartel General do Exército, o Palácio Jaburu, todos esses localizados em Brasília (DF).
Além dos bens listados na capital federal, estão protegidos também a Casa das Canoas (RJ), o Conjunto da Passarela do Samba (RJ), o Museu de Arte Contemporânea (RJ), o Conjunto do Parque do Ibirapuera – especificamente, a Grande Marquise, o Palácio das Nações (Pavilhão Manoel da Nóbrega), o Palácio dos Estados (Pavilhão Francisco Matarazzo Sobrinho), o Palácio das Indústrias (Pavilhão Armando de Arruda Pereira), o Palácio de Exposições ou das Artes (Pavilhão Lucas Nogueira Garcez, conhecido como "Oca") e o Palácio da Agricultura (SP).
Outras obras do arquiteto, que não integram esse processo, mas que já haviam sido tombadas anteriormente, são: a Catedral Metropolitana de Nossa Senhora Aparecida (1967), mais conhecida como Catedral de Brasília, o Catetinho (1969) - primeira residência oficial do presidente Juscelino Kubitschek -, e o Conjunto Arquitetônico da Pampulha, que ano passado recebeu o título de Patrimônio Mundial da Unesco.
Niemeyer projetou, ao longo da vida, mais de 150 obras, e conseguiu concluir mais de 100, não só no Brasil, mas também mundo afora, em países como Estados Unidos, França, Itália, Portugal, Argélia e Cuba.
Tombamento
O tombamento de um bem é uma ação administrativa do Poder Executivo, que começa pelo pedido de abertura de processo. A solicitação de um tombamento pode ser feita por qualquer cidadão, instituição pública ou privada. Todo o processo envolve avaliação técnica e análise dos órgãos responsáveis pela preservação, entre os quais está o Iphan. Caso seja aprovada a intenção de proteger o bem, cultural ou natural, passa a ser protegido legalmente, contra destruições ou descaracterizações, até que seja tomada a decisão final. O processo termina com a inscrição em um dos Livros do Tombo e comunicação formal aos proprietários.
A homologação de um bem tombado é o fim de um rito processual. Na prática, é a confirmação de uma decisão tomada pelo Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural. O Conselho, que avalia os processos de tombamento e registro, é composto por especialistas de diversas áreas, como cultura, turismo, arquitetura e arqueologia. Ao todo, são 23 conselheiros, que representam o Instituto dos Arquitetos do Brasil – IAB, o Conselho Internacional de Monumentos e Sítios - Icomos, a Sociedade de Arqueologia Brasileira – SAB, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – Ibama, o Ministério da Educação, o Ministério das Cidades, o Ministério do Turismo, o Instituto Brasileiro dos Museus – Ibram, a Associação Brasileira de Antropologia – ABA, e mais 13 representantes da sociedade civil, com especial conhecimento nos campos de atuação do Iphan.
Fonte: Assessoria de Comunicação/
Ministério da Cultura
Cartilhas informam sobre a salvaguarda dos Bens Culturais Registrados
Como um bem pode ser reconhecido como Patrimônio Cultural Imaterial? O que são Bens Culturais Registrados? Para que serve o reconhecimento como Patrimônio? O que é e como funciona a salvaguarda desses bens? Qual o papel do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em relação aos Bens Culturais Registrados? Para responder a essas e outras questões sobre a política de salvaguarda dos bens culturais de natureza imaterial em todo o Brasil, o Iphan lançou a série Patrimônio Cultural Imaterial: Para saber mais, com cartilhas que visam orientar e informar a sociedade civil. A série possui três linhas de conteúdo, correspondentes aos três processos da política de salvaguarda: Identificação, Reconhecimento e Apoio e Fomento.
Com linguagem clara e didática, a série lança agora os números dois e três, pertencentes à linha de conteúdo referente à Apoio e Fomento, e intitulados Salvaguarda de Bens Registrados e Salvaguarda da Roda de Capoeira e Ofício dos Mestres de Capoeira, respectivamente. As cartilhas estão disponíveis em versão física e digital, com download gratuito pelo portal do Iphan.
A proposta dos novos números é demonstrar como o Iphan, por meio da execução de ações de apoio e fomento, realiza a salvaguarda dos Bens Registrados, em constante parceria com a sociedade civil e outras instituições. Enquanto o primeiro volume, publicado anteriormente, traz informações gerais sobre o Patrimônio Cultural Imaterial, o segundo aborda as diretrizes, procedimentos e eixos de atuação da salvaguarda para Bens Registrados. Já o terceiro número divulga as ações voltadas para a salvaguarda da Roda de Capoeira e do Ofício dos Mestres de Capoeira, especificamente.

Salvaguarda do Patrimônio Imaterial
O Iphan é a instituição responsável pela execução da política de salvaguarda para o Patrimônio Cultural Imaterial em todo o país desde 2000, quando foi publicado o Decreto 3.551, que diz respeito ao Registro de Bens Culturais de Natureza Imaterial que constituem o Patrimônio Cultural Brasileiro e cria o Programa Nacional de Patrimônio Imaterial (PNPI). A política engloba ações de identificação, reconhecimento e apoio e fomento a bens culturais imateriais de comunidades e grupos de todo o país. A partir dela, entende-se por salvaguarda o conjunto de medidas que visam garantir a viabilidade do Patrimônio Cultural Imaterial, tais como a identificação, documentação, investigação, proteção, valorização, promoção, transmissão e revitalização desse patrimônio.
-----------------------------
Mais informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação Iphan - comunicacao@iphan.gov.br
Fernanda Pereira – fernanda.pereira@iphan.gov.br
(61) 2024-5511- 2024-5513 - 2024-5531 - 99381-7543
www.iphan.gov.br

 

segunda-feira, 29 de maio de 2017



 

Exposição "Antônio de Gastão - 105 anos de arte popular" no Museu de Arte Religiosa e Tradicional em Cabo Frio
Obra de Antônio de Gastão
O Museu de Arte Religiosa e Tradicional - museu federal vinculado ao Instituto Brasileiro de Museus, instalado no Antigo Convento de Nossa Senhora dos Anjos, centro de Cabo Frio - está recebendo a exposição temporária "Antônio de Gastão - 105 anos de arte popular" até o dia 05 de agosto. Antônio de Gastão foi um mestre popular, pescador, poeta, escultor, músico e contador de histórias apaixonado por sua terra, pela restinga e pelo mar. E a exposição no Mart traz algumas de suas obras inspiradas nessas suas paixões, confeccionadas em diferentes materiais, como madeira, pedra-pome e barro. Tendo as obras de Gastão como premissa, e especialmente os fantoches que ele confeccionava, a Divisão Educativa do Mart preparou uma atividade voltada para crianças com idade entre 6 e 8 anos. A atividade é um teatro de bonecos baseado em uma das muitas histórias que o artista contava. Escolas devem agendar visitas pelo e-mail manoella.ramalho@museus.gov.br ou pelo telefone (22) 2646-7340, com Manoella.

terça-feira, 23 de maio de 2017

30ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade lança edital renovado
Para estimular o envolvimento da sociedade civil na busca pela salvaguarda e proteção dos bens culturais
do país, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) lançou no dia 06 de abril de 2017 a 30ª Edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade.
Nesta edição, o edital do prêmio, que celebra seus 30 anos e também os 80 anos do Iphan, traz algumas novidades. O concurso selecionará oito trabalhos representativos de ações preservacionistas relativas ao Patrimônio Cultural, divididos em quatro categorias. Assim, o prêmio será atribuído a dois projetos por categoria, no valor de R$ 30 mil, para cada ação premiada.
Poderão concorrer ao Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade 2017 pessoas físicas ou jurídicas, públicas ou privadas, que tenham desenvolvido ou estejam desenvolvendo ações voltadas para a preservação do patrimônio cultural brasileiro em qualquer lugar do território nacional e que tenham tido ao menos uma de suas etapas concluídas em 2016.

Os projetos participantes deverão ter relevância para a identidade, a ação e a memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira e ter como objeto os bens de natureza material e imaterial, tomados individualmente ou em conjunto, nos quais se incluem as formas de expressão; os modos de criar, fazer e viver; as criações científicas, artísticas e tecnológicas; as obras, objetos, documentos, edificações e demais espaços destinados às manifestações artístico-culturais; os conjuntos urbanos e sítios de valor histórico, paisagístico, artístico, arqueológico e científico.
Os trabalhos inscritos deverão ser entregues nas superintendências do Iphan nos Estados. O prazo para inscrição dos projetos foi prorrogado para o dia 5 de julho de 2017. O resultado final do concurso será proferido pela Comissão Nacional até o dia 10 de agosto de 2017, mediante divulgação da ata de reunião no endereço eletrônico do Iphan.


30ª edição do PRMFA traz novidades em seu edital 
Desde sua criação, o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade vem se aperfeiçoando e, ao longo dos anos, estabelece novas propostas que refletem a evolução das políticas de valorização e proteção dos bens culturais, destacando, principalmente, o envolvimento da sociedade civil e entidades públicas ou privadas na promoção e preservação do Patrimônio Cultural Brasileiro. No ano em que celebra 30 anos de criação, a premiação selecionará oito projetos, divididos em quatro grandes categorias:
Categoria I - Iniciativas de excelência em técnicas de preservação do Patrimônio Cultural: visa valorizar e promover iniciativas de excelência em preservação do patrimônio cultural material envolvendo ações de identificação, estudos e pesquisas, projetos, obras e medidas de conservação e restauro.
Categoria II - Iniciativas de excelência em processos de salvaguarda do Patrimônio Cultural: visa valorizar e promover iniciativas de excelência em salvaguarda do patrimônio cultural imaterial, envolvendo ações de identificação, documentação, estudos e pesquisas, reconhecimento e valorização.
Categoria III - Iniciativas de excelência em promoção do Patrimônio Cultural: visa valorizar e promover iniciativas referenciais que objetivem comunicar, interpretar, divulgar, difundir, e educar para o patrimônio cultural, material e/ou imaterial, para as atuais gerações.
Categoria IV - Iniciativas de excelência em gestão compartilhada do Patrimônio Cultural: visa valorizar e promover iniciativas referenciais que demonstrem o compromisso e a responsabilidade compartilhada para com a preservação e/ou salvaguarda do patrimônio cultural brasileiro.

Iphan 80 anos: Projetando os próximos 80 anos 

Preservar e proteger o rico Patrimônio Cultural Brasileiro faz parte das diretrizes primordiais do Iphan desde sua criação. São 80 anos construindo políticas voltadas à promoção e preservação das memórias, das tradições, das manifestações culturais, dos ofícios, das artes e das edificações históricas, destacando a relevância desses elementos para formação da identidade cultural do povo brasileiro.
Criado em 1987, ainda pelo antigo Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (SPHAN), o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, completa 30 anos em 2017, homenageando a instituição que celebra oito décadas de atuação, mas já projetando os próximos 80 anos.
-----------
Mais informações para a imprensa: Assessoria de Comunicação Iphan premio.prmfa@iphan.gov.br / (61) 2024-5463 comunicacao@iphan.gov.br
Fernanda Pereira – fernanda.pereira@iphan.gov.br
Adélia Soares – adelia.soares@iphan.gov.br
Íris Lúcia – iris.santos@iphan.gov.br
(61) 2024-5511- 2024-5513 - 2024-5531 / 99381-7543 www.iphan.gov.br www.facebook.com/IphanGovBr | www.twitter.com/IphanGovBr www.youtube.com/IphanGovBr




segunda-feira, 22 de maio de 2017



Novo blog História da Museologia
O blog intitulado "História da Museologia" (https://historiadamuseologia.blog/), foi lançado no último mês e apresenta conteúdos da história e teoria do campo da Museologia em linguagem acessível. O blog é um instrumento para o ensino e popularização de conhecimentos em Museologia na internet, com conteúdo de qualidade, produzido por meio do projeto de pesquisa com o mesmo título que é uma parceria da UNIRIO com o Comitê Internacional de Museologia - ICOFOM. 

Biblioteca digital disponibilizará mais de 800 obras sobre patrimônio naval

No último dia 09 de junho foi realizado o lançamento do Portal Barcos do Brasil, que disponibilizará mais de 800 obras digitalmente, sendo a maioria delas obras raras sobre o patrimônio naval. O projeto foi financiado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), através de convênio com a Associação dos Amigos do Museu do Mar, e contou com parceria com a Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) e Fundação Catarinense de Cultura.
O objetivo do Portal é a disponibilização do acervo da Biblioteca Kelvin Duarte, que fica no Museu Nacional do Mar, ao maior número de pesquisadores possível, promovendo acessibilidade e tornando a biblioteca uma referência nacional no tema, a fim de atender desde estudantes curiosos aos mais gabaritados especialistas. O acervo disponibilizado no site reúne, além de livros, plantas, cartas náuticas e manuscritos. Grande parte do acervo se constitui em uma reunião de exemplares fora de circulação do mercado livreiro, edições esgotadas e de conteúdo precioso, abordando assuntos que incluem história naval, modelismo, pesca, folclore, descrição de viagens, entre outros.
Os pesquisadores encontrarão no site publicações como Compendio del arte de navegar (Rodrigo de Zamorano, 1581) e Viagem do Paraguay ao Amazonas (Paulo Ehrenreich, 1853). Para facilitar o acesso ao usuário, as buscas das publicações poderão ser feitas segundo critérios de: comunidades e coleções; data do documento; autores; títulos; e assuntos.
Museu Nacional do Mar
O Museu Nacional do Mar de São Francisco do Sul (SC) conta com um acervo de obras raras disponível na Biblioteca Kelvin Duarte, composto por cerca de 3 mil documentos de variados tipos - cartas náuticas, plantas de embarcações, documentos sobre engenharia naval, documentos da marinha portuguesa da época da colonização brasileira, entre outros documentos de valor histórico imensurável. Grande parte desse material é procurado por pesquisadores, alunos, especialistas da engenharia naval, historiadores e outros interessados nesse conhecimento.
A Biblioteca leva o nome de um dos maiores conhecedores e estudiosos do modelismo naval brasileiro, Kelvin Duarte. O especialista dedicou sua vida ao estudo da construção de miniaturas náuticas, além de ter reunido livros nacionais e internacionais sobre o assunto de raro valor comercial e intelectual, adquiridos pelo Museu do Mar.
http://www.portalbarcosdobrasil.com.br/
Fonte: http://portal.iphan.gov.br/noticias/detalhes/4125/biblioteca-digital-disponibilizara-mais-de-800-obras-sobre-patrimonio-naval
ArquiMemória 5 comemora 80 anos do Iphan

O Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) e a Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal da Bahia (FAUFBA) convidam os profissionais e pesquisadores atuantes nas áreas de ensino, pesquisa, projetos, obras e gestão do patrimônio edificado a participar do ArquiMemória 5 – Encontro Internacional sobre Preservação do Patrimônio Edificado. Tendo como referência o tema do 27º Congresso Mundial de Arquitetos, “Todos os mundos. Um só mundo. Arquitetura 21”, o ArquiMemória 5 adota como tema central “O global, o nacional e o local na preservação do patrimônio”.
ArquiMemória 5 se realizará em Salvador (BA), entre 27 de novembro e 01 de dezembro de 2017, e celebrará as oito décadas de institucionalização da política de preservação do patrimônio cultural no Brasil, com a entrada em vigor do Decreto-lei nº 25, que instituiu o instrumento do tombamento e organizou o Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (SPHAN), criado meses antes. O evento comemorará também os 50 anos de criação da Fundação do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (FPAC), atual IPAC, órgão estadual de preservação do patrimônio cultural baiano.
ArquiMemória 5 é também um evento preparatório do 27º Congresso Mundial de Arquitetos, o mais importante evento de arquitetura mundial, que se realizará no Rio de Janeiro, em julho de 2020, promovido pelo União Internacional dos Arquitetos (UIA) e pelo Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB).

O prazo para envio de propostas de trabalho (resumos) é 29 de maio, nas três categorias: comunicações, colóquios temáticos e projetos arquitetônicos e urbanísticos de intervenção no patrimônio edificado.
Revista ARA2 YMÃ - Tempo e Memória
Lançada a Revista ARA2 YMÃ – outono+inverno, cujo nome significa Tempo em tupi guarani, que pertence à Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU­‐USP). Nesta segunda edição, a revista congrega estudos ligados à temática - Tempo e Memória, que podem ser acessados no site http://www.museupatrimonio.fau.usp.br/index.php/ara-2-yma-tempo-e-memoria/

Digital e bianual, a Revista ARA constitui um periódico do Grupo de Pesquisa Museu/ Patrimônio e procura trazer debates atuais, voltados às instituições em momento em que uma vaga de desesperança e descrença dissemina-se por distintas áreas. Deseja-se colaborar para se qualificar e rever questões candentes deste período.